© 2018 por Renata Riani. Todos os direitos reservados. 

Índice Glicêmico, preciso saber??

March 8, 2018

 

 

     Ainda existem inúmeros obstáculos a vencer no caminho a uma alimentação saudável, isso se deve ao fato de ainda existirem informações muito confusas e contraditórias sobre nutrição. Mitos e informações erradas desencorajam os consumidores a dar passos simples em direção ao equilíbrio entre o corpo e a mente.         Hoje vamos falar um pouco mais sobre o índice glicêmico dos carboidratos. A insulina é o hormônio responsável pelo controle do nível de açúcar no sangue (glicemia). Uma parte desse açúcar (glicose) é transformada em energia e a outra parte pode ser armazenada no corpo na forma de glicogênio hepático ou muscular (armazenamento de carboidrato) ou triacilglicerol (armazenamento de gordura) quando consumido em excesso (EXCESSO MESMO, não um copo de suco de laranja ta?). 

     No caso de uma alimentação rica em carboidratos simples (açúcares, farinha branca, grãos refinados, sucos industrializados, refrigerantes, etc..) o nível de insulina fica elevado para “dar conta de capturar” tanta glicose, estimulando o seu armazenamento no corpo na forma de gordura.

     Ou seja, um dos motivos pelos quais ganhamos peso seria o excesso de ingestão de açúcar (frutose, xarope de glicose, açúcar invertido, etc...)  que aumenta os níveis de insulina e estimula o acúmulo de gordura. Uma maneira de minimizar isso seria diminuir o consumo desses carboidratos refinados, reduzindo o índice glicêmico.

     O índice glicêmico classifica um alimento com base na sua resposta glicêmica, ou seja, é a capacidade e velocidade que o carboidrato de um alimento tem em aumentar a glicemia. Nesse sentido, os alimentos podem ser classificados em elevado, médio e baixo índice glicêmico.

     Os alimentos com baixo índice glicêmico, por exemplo, são absorvidos de forma gradativa, diminuindo a velocidade do esvaziamento gástrico, ocasionando saciedade por mais tempo e estimulando a liberação de insulina de forma lenta. Muito desse efeito se deve ao fato de que os alimentos com baixo índice glicêmico contêm fibras.

 

 

 

 

 

     No entanto, o índice glicêmico depende de muitos fatores, como o tipo de carboidrato (glicose, frutose, sacarose, lactose, amido) presente no alimento, a presença e quantidade de outros nutrientes (gorduras, proteínas, fibras) na mesma refeição, o tipo de preparo (cru, cozido, assado, frito) e a quantidade do alimento consumida.

     Acho importante mencionar que não é necessário excluir os alimentos com alto índice glicêmico da sua vida! Em um planejamento alimentar podemos sim acrescentar tais alimentos mas sempre com MODERAÇÃO. A maior concentração desses carboidratos de altíssimo índice glicêmico são em produtos industrializados e que preciso acrescentar também que contém gordura saturada, hidrogenada e uma infinidade de produtos químicos. Então apenas preste atenção na montagem do seu prato, nas compras no supermercado e procure um profissional capacitado para montar um planejamento adequado. 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Blog

Featured Posts

Reúna os amigos em casa sem sair da dieta!

May 24, 2017

1/2
Please reload

Archive
Please reload

Follow Me
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Pinterest Icon